Uma publicação da Editora Brasil Energia

Brasil tem potencial para 700 GW de parques offshore

O potencial do Brasil para geração de energia eólica no mar, segundo o Roadmap Eólica Offshore da EPE – estudo detalhado para balizar o planejamento de parques offshore – chega a 700 GW, em locais com até 50 metros de profundidade.

Embora ainda no papel, há projetos para geração de energia eólica offshore no país em licenciamento – em 2020, já são 10 com pedidos no Ibama, nos estados da Bahia, Maranhão, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Ceará.

No mundo, a capacidade eólica offshore chegou a 29,1 GW em 2019, com recorde de capacidade adicionada no ano de 6 GW, representando um aumento de 10% em relação a 2018. Pela estimativa da GWEC, a produção eólica offshore global pode chegar a 80 GW em 2025.

Conforme relatório da associação europeia de energia eólica WindEurope, os parques europeus têm uma profundidade média de 27,1 metros e estão, em média, 33 km distantes da costa. O Reino Unido é o país com a maior capacidade instalada da Europa, com 44% de todas as instalações de energia eólica offshore, seguido da Alemanha (34%), Dinamarca (7%), Bélgica (6,4%) e Holanda (6%). No Reino Unido e na Alemanha foram construídas as turbinas de maior potência, com uma média de 6 e 5,6 MW respectivamente. Em seguida estão a Dinamarca e a Finlândia, com uma média de 3,4 MW.

Acompanhe aqui os projetos em licenciamento.